Varizes são veias superficiais, dilatadas e tortuosas que provocam alteração da circulação venosa podendo causar dor tipo cansaço ou queimação, sensação de peso nas pernas e inchaço. Ocorre mais comumente em mulheres, sendo a predisposição familiar a principal causa.
A indicação da cirurgia de varizes e de qual tipo de procedimento será feito se faz com base nos dados colhidos na consulta médica e complementados pelo Doppler ultrassom vascular. Este exame nos auxilia no diagnóstico de problemas nas veias profundas e nas safenas, por isso é imprescindível a sua realização no pré-operatório.
Com a cirurgia indicada, deve-se explicar ao paciente todas as etapas do pré, do intra e do pós-operatório para que nenhuma dúvida reste a respeito da cirurgia. Estando o paciente de acordo com a realização do procedimento partimos para os exames pré-operatórios que consistem em exames laboratoriais e avaliação cardiológica. Com os exames laboratoriais e avaliação cardiológica dentro da normalidade temos muita segurança em indicar a cirurgia, já que neste caso trata-se de procedimento de baixo risco.
O tipo de anestesia a ser realizado dependerá da extensão das varizes e da provável duração do procedimento, podendo ser anestesia local sem sedação, anestesia local com sedação, anestesia raqui ou peridural. Com a evolução da anestesia, hoje trata-se de método seguro, sendo sempre realizado em ambiente hospitalar e com a presença do anestesista durante todo o procedimento.
O tratamento específico e ideal sempre depende das veias a serem tratadas. Quando a veia safena magna ou parva não está comprometida, as varizes são retiradas através de microincisões. Estas microincisões cicatrizam-se somente com colocação de fita adesiva “Micropore” o que resulta em um resultado estético excelente. Se o Doppler ultrassom mostrar dilatação e insuficiência (refluxo) nas veias safenas, estas devem ser retiradas somente no segmento acometido. Outras possibilidades de tratamento das veias safenas insuficientes são a espuma, o laser e a radiofrequência. Nestes casos estas veias não são retiradas e sim obliteradas. Com isso o fluxo de sangue não passa mais naquele segmento de veia doente.

ORIENTAÇÕES PRÉ-OPERATÓRIAS PARA PACIENTES QUE SERÃO SUBMETIDOS À CIRURGIA DE VARIZES DOS MEMBROS INFERIORES

– Comparecer ao Hospital agendado no dia da cirurgia com documentos pessoais e com antecedência de pelo menos uma hora do horário da cirurgia para internação hospitalar e reserva de quarto.
– Fazer jejum de 8 horas antes do horário previsto para início da cirurgia.
– Depilar ou raspar pelos das coxas, pernas, virilha e região púbica no dia anterior à cirurgia.
– Levar todos os exames pré-operatórios realizados (laboratorial, eletrocardiograma, Doppler ultrassom).
– Se tiver alguma medicação de uso contínuo pela manhã (principalmente anti-hipertensivos), poderá ser tomada com pouca água, exceto remédios para diabetes, que não devem ser tomados.
– Não usar óleos ou cremes no dia da cirurgia.
– Levar meias elásticas quando solicitado na consulta.

ORIENTAÇÕES PÓS-OPERATÓRIAS PARA PACIENTES QUE SERÃO SUBMETIDOS À CIRURGIA DE VARIZES DOS MEMBROS INFERIORES

O pós-operatório de cirurgia de varizes varia de acordo com a extensão e quantidade de varizes a serem retiradas e com o tipo de procedimento realizado.
Normalmente a cirurgia é realizada com anestesia tipo bloqueio (raquidiana ou peridural). Você retorna para o quarto após liberação do anestesista e permanece deitado o dia todo, podendo se levantar para as refeições e idas ao banheiro, lembrando sempre de chamar a equipe de enfermagem para acompanhamento. Você recebeu uma anestesia, foi submetido a um procedimento cirúrgico e ficou com os membros elevados, portanto pode sentir tonturas ao levantar-se.
A alta hospitalar é geralmente dada no mesmo dia da cirurgia ou na manhã do dia seguinte, dependendo do horário do término da mesma. Em casa normalmente não há necessidade do uso de nenhum medicamento específico. Tome somente analgésicos em caso de dor e se fizer uso diário de algum remédio, tome-o normalmente.
A faixa elástica deve ser mantida até o primeiro dia pós-operatório, quando devem ser retiradas. Neste momento você pode tomar banho, inclusive molhando os adesivos (“Micropore”). Se tiver algum pequeno sangramento em algum ponto, deverá ser feito compressão com o dedo durante alguns minutos. Deitar após o banho, e depois dos adesivos secos (esperar secar espontaneamente ou usar secador de cabelos), vestir as meias elásticas, que só devem ser retiradas para o banho e para dormir. Se algum adesivo começar a se soltar ou mesmo se soltar totalmente, colocar outro pedaço de fita “Micropore” sobre a pele.
Nos primeiros cinco dias deve-se evitar sair de casa. Nas primeiras quarenta e oito horas o repouso deve ser feito com os membros elevados. Quando estiver deitado, exercícios de flexão e extensão dos pés e massagem na panturrilha fazem bem para a circulação. A cada uma hora de repouso deve-se levantar e deambular devagar (tentar não mancar) por cerca de 5 minutos. Não é necessário repouso absoluto, ou seja, ficar o tempo todo na cama. Hoje sabemos que isso não traz benefícios e pode causar complicações como trombose venosa.
Após o terceiro dia o repouso se torna menos intenso, pode-se deambular normalmente dentro de casa, intercalando com períodos de repouso. Evitar ficar sentado com os membros pendentes. Se houver inchaço leve (edema) das pernas ou dos pés, deve-se retirar a meia e intensificar o repouso, vestindo a meia novamente após o edema ceder. No caso de edema ou dor importante favor entrar em contato comigo.
A data do retorno ao consultório será fornecida na alta hospitalar, normalmente agendada para cerca de 07 dias.
As meias elásticas devem ser usadas por aproximadamente 30 dias.
Exposição dos membros inferiores ao sol deve ser evitado durante 30 dias ou até o desaparecimento dos hematomas. Isso será avaliado nos retornos ao consultório. A cicatrização e o desaparecimento dos hematomas dependem de características próprias do paciente. Você deve seguir todos os cuidados pós-operatórios prescritos para que se obtenha o melhor resultado possível da cirurgia.
Se necessário, a escleroterapia no consultório é iniciada aproximadamente 14 dias após a cirurgia.
Espero que você tenha um pós-operatório tranquilo e satisfação com o resultado de sua cirurgia.
Qualquer dúvida estarei sempre à disposição.